Inteligência emocional também faz parte do negócio

901
ads-topo-3

Desejar a prosperidade do próprio negócio é uma característica comum dos empreendedores, um dos combustíveis necessários para permanecerem em funcionamento. Até aí, nada de novo. Mas até que ponto o desejo se separa da ganância?

Na atual conjuntura político-econômica do País, a principal luta para grande parte desse grupo deveria ser o se manter no mercado. Contudo, na ânsia de crescer nadando bravamente contra a maré de números negativos que surgem no dia a dia, muitos acabam por perder a luta contra si mesmo. Talvez se ficassem quietinhos em segurança não seriam engolidos.

Além disso, tem aquele outro subgrupo que acredita no “quanto mais, melhor”. Mais informações, mais resultados, mais isso, mais aquilo…. Esses nunca ouviram o “menos é mais”.

E o que difere esses subgrupos daqueles que… prosperam?

Você percebeu que um insiste em ir de encontro à realidade e o outro confunde qualidade com quantidade? Ninguém pensou no equilíbrio.

Forma-se então o grande grupo de desequilibrados (não no sentido pejorativo): são os estressados, os insones, os angustiados, os depressivos…. Patologias essas que levam a tantas outras de cunho emocional.

Aqueles que prosperam, mesmo que em números tímidos ou até dão um passo atrás para depois buscar um salto melhor, são os que mantiveram um equilíbrio emocional: habilidade, reconhecer suas fragilidades, praticar o perdão a si mesmo, ser capaz de dizer e ouvir um “não”, não buscar a perfeição… são algumas das características.

Trabalhando ou empregando dessa forma é um dos segredos para se manter no mercado. Humildade para reconhecer a conjuntura onde está inserido e sua capacidade de dar um passo por vez te diferencia de um grande grupo e te faz praticamente único onde todos estiverem.

Pense nisso.

O autor, Thiago Vendrami, é jornalista apaixonado por Economia e animais. É repórter do Jornal da Cidade de Bauru e analista de comunicação e marketing na STICORP.

* É permitida a reprodução parcial ou total deste material, desde que citada a fonte com link.

Comentários

Comentários