PIB: queda acumulada de 4,1% em 12 meses

332

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil permanece em queda, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), em estimativa divulgada nesta terça-feira (15). O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no País.

De acordo com os cálculos da FGV, a queda acumulada em 12 meses até janeiro foi de 4,1%. O resultado é pior que o resultado consolidado de 2015, que registrou -3,8%.

Quando comparado com janeiro do ano anterior, a taxa mensal reduziu 6,1%, o maior recuo neste tipo de comparação desde o início da série do Monitor do PIB-FGV, no início dos anos 2000.

Já quando se compara com dezembro de 2015, houve um ligeiro aumento de 0,13%. Os resultados, ainda segundo a FGV, podem sugerir uma “discreta estabilidade na atividade econômica”.

PIB acumulado

A taxa do PIB acumulada em 12 meses está em queda desde março de 2014, lamenta a FGV. E, desde janeiro de 2015, apresenta resultado negativo.

Entre as 12 atividades produtivas no País, dez registraram queda no acumulado de 12 meses, sendo as principais na indústria da transformação (-14,4%), comércio (-13,1%) e transportes (-10,5%).

Apenas agropecuária (1,5%) e eletricidade (2,7%) registraram aumento.

A principal queda nos últimos 12 meses foi na formação bruta de capital fixo, isto é, nos investimentos, com um recuo de 14,3%. Já o consumo das famílias apresentou queda de 4,3% e o consumo do governo, de 0,9%, conforme projeção da FGV.

 

* É permitida a reprodução parcial ou total deste material, desde que citada a fonte com link.

Comentários

Comentários

ADS-BOTTOM-GESTAO-NFE