O lado bom e o ruim do fim do emissor de NF-e gratuito

8992

A Secretaria da Fazenda informou que vai descontinuar seu emissor gratuito de notas fiscais eletrônicas em janeiro de 2017.  Porém, desde já, a versão atual deixa de receber atualizações e não haverá uma versão substituta e os contadores precisam ficar atentos.

A SEFAZ fornecia os emissores gratuitos desde 2006 com o objetivo de controlar melhor o recolhimento dos impostos. Mas ao constatar que 92,2% das empresas não usavam o emissor gratuito, mas um sistema próprio, optou por descontinuá-lo.

Muitas empresas utilizam ERPs prontos para atender a esse modelo de emissão gratuito e vão precisar se atualizar. As atualizações constantes que as notas recebem da legislação brasileira ajuda a evitar emissões erradas, mas sem elas o risco é alto e as empresas podem ser multadas.

Empresas que ainda não se informatizaram ou que dependiam do emissor gratuito terão alguns meses para tomar providências e se adaptar. Acaba sendo positivo apostar em uma ferramenta unificada e integrada, portanto, o processo de mudança não deve ser dolorido, mas uma oportunidade para modernizar-se e atualizar-se.

 

 

* É permitida a reprodução parcial ou total deste material, desde que citada a fonte com link.

Comentários

Comentários