9 dicas que envolvem dinheiro e investimentos para sua vida

615

Em tempos de desafios e incertezas sobre seu futuro pessoal e profissional, não é permissível ignorar situações que envolvam dinheiro e investimentos desbancarizados a médio e longo prazo.

A desbancarização é o ato de romper vínculo com o sistema tradicional que te paga poucos juros e limita opções de investimento. São objetivos e pensamentos totalmente distintos.

Um banco tradicional visa o lucro da instituição, enquanto corretoras de investimentos visam a rentabilidade de sua carteira, que é onde você pode se inserir.

Por conta disso, aquela ideia de deixar dinheiro rendendo em poupança, geralmente pregada por seus ancestrais, já não faz mais sentido algum.

A remuneração da caderneta de poupança nos últimos 12 meses está na média de apenas 8,07% ao ano, bem abaixo da taxa de juros básica de 14,25% ao ano, a Selic, que “dita” os investimentos de renda fixa do mercado. Uma perda real de 6,18% no seu investimento.

Quem ganhou com isso? Os bancos, que utilizaram seu dinheiro para emprestar à outra pessoa com juros muito maiores. Cada um com sua política, mas sabemos que jamais tomaríamos um empréstimo a esse percentual de juros que rende a poupança. Não concorda? Talvez tenha acompanhado nos noticiários a debandada de brasileiros da caderneta de poupança.

Seus ancestrais também dizem que deixar dinheiro em banco, na poupança, é seguro. Existem outras opções tão seguras quanto e, claro, mais rentáveis.

Alguns exemplos: Certificados de Depósito Bancário (CDB), que oferece opções de liquidez diária, quando você pode movimentar quando e como quiser, e de carência maior, algo como dois anos sem mexer para ter um rendimento ainda maior. Essas opções são atreladas ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI), com média de 12% ao ano, que nestas situações respectivamente podem chegar a 103% e 120%.

Nestes casos, você empresta dinheiro ao banco ou corretora e negocia o quanto você vai receber de juros por isso. Há opções de juros pré-fixados, mais indicada aos conservadores, ou pós-fixados, para quem gosta de um risco de leve.

Outras possibilidades interessantes são as Letras de Crédito Imobiliário e Agrícola, respectivamente LCI e LCA.

LCIs e LCAs são como um CDB, com rentabilidade prefixada ou indexada ao CDI com liquidez diária e livre de Imposto de Renda.

As LCIs são ativos de renda fixa, diferentes dos fundos de investimento imobiliário, estes com renda variável.

Bom, podemos nos aprofundar mais sobre essas opções em um outro post, se você desejar. Pode postar dúvidas no espaço dedicado a comentários. Combinado?

Então, vamos retomar o propósito deste post, ao desmistificar 9 situações que te mostram que é importante guardar e investir para um futuro mais tranquilo, seguro financeiramente e uma qualidade de vida para você e aos que te estão ao seu redor.

O artigo original é da InvestmentZen, que adaptamos à nossa realidade. Incluímos ainda alguns bônus. Confira:

• Você não precisa se preocupar com a aposentadoria ou investir enquanto você é jovem

De acordo com um estudo feito pelo Bankrate.com, nos Estados Unidos apenas 26% dos adultos até 30 anos tinham investimentos em ações no ano 2015. Entretanto, com a realidade do Brasil onde taxas de juros seguem elevadas, uma das maiores do mundo, quanto mais cedo começar a investir, mais rendimento terá ao longo dos anos, conseguindo ter um bom suporte em caso de desemprego ou para aproveitar melhor a aposentadoria.

 

• Investir é um ato egoísta

Dizem que investir o seu dinheiro para o seu próprio futuro e ignorar aqueles que precisam de sua ajuda, como seus filhos e a caridade, é um puro ato de egoísmo.  Diante desta informação, Phillip Taylor,  da PTMoney.com, diz exatamente o oposto. “A verdade é que você poupa para  garantir uma aposentadoria estável, uma das decisões mais assertivas que você pode fazer com o seu dinheiro”. Aliás, não garantir seu investimento no futuro custa dinheiro a todos, o que sobrecarrega seus filhos com suas despesas quando você está velho demais para trabalhar e até mesmo o sistema público de saúde e previdência, já deficitários.

 

• Eu não tenho nenhum dinheiro para investir

Isso pode ser uma verdade para aqueles que vivem abaixo ou no limite da linha da pobreza. A maioria das pessoas com empregos regulares e salários fixos (mais comissionados, às vezes) podem se dar ao luxo de investir pelo menos um pouquinho para o futuro. Basta cortarem seus gastos com coisas superfluas e priorizar uma quantia para investimentos. Muitos investimentos não exigem uma quantia alta para começar a investir. Pequenos montantes investidos ao longo do tempo pode se tornar algo substancial, mas somente se você começar tipo… já!

 

• Você não deve investir se você estiver em dívida

Ter alguma dívida não é algo incomum . Muitas pessoas passam anos pagando dívida universitária, por exemplo.  Quanto mais tempo demorar para começar a investir, menos tempo o seu dinheiro terá de crescer. Se você for uma pessoa organizada, você pode investir e pagar a dívida ao mesmo tempo. Quando você investe, mesmo durante o período da dívida, você pode começar a ver as possibilidades de crescimento da riqueza e que pode motivá-lo (e ajudá-lo a) a viver de forma mais responsável. Mas fique atento: se os juros da sua dívida for estratosférico, como o de cartão de crédito, primeiro é interessante quitá-la. O investir enquanto se paga dívida é válido para juros relativamente baixos, como alguns financiamentos, ou mensalidades de escolas.

 

• Você precisa ter um conhecimento profundo do mercado de ações antes de investir

Não necessariamente você precisa saber tudo sobre o mercado de ações, que já é uma outra opção – cheia de oscilações e riscos. Claro que ler sobre o assunto ajuda a dialogar melhor com seu corretor e se questionar antes de dar uma ordem de investimento.  Se você quer investir e paralelamente ter seu emprego e não “pirar” com tantas informações e números, além dos sobe e desce em questão de minutos, o ideal mesmo é contratar os serviços de uma corretora de sua confiança e seja claro quanto suas reais intenções.

 

• Pior ainda é o fato de que a premissa por trás dessa desculpa é uma mentira absoluta

As noções básicas de investir no mercado de ações são surpreendentemente simples: você compra ações de empresas, se eles executam bem financeiramente, então suas ações aumentar em valor.

Recomendamos que acompanhe diversas corretoras para saber onde e como aplicar, caso ainda seja “marinheiro de primeira viagem”.

 

• Eu nunca vou aposentar

Isso é uma desculpa bastante esfarrapada, um compromisso com grave erro futuro. Não há como prevermos nosso amanhã em relação a saúde, emprego, qualidade de vida e economia do País.  Enquanto você pode pensar que o mundo vai acabar antes de bater a aposentadoria, ou que você vai “morrer cedo,” as chances são bastante grandes de de você viver para aguentar as consequências de não poupar para a aposentadoria. Pode dizer-se o que quiser, mas o fato é que você provavelmente vai viver por um tempo muito longo. De acordo com o IBGE, a média de vida de um cidadão brasileiro é de 72,7 anos. Se você não poupar para a aposentadoria, você provavelmente dependerá de ajuda do governo, lutando para trabalhar a tempo parcial ou, como já citado anteriormente, sendo um custo aos seus filhos.

 

• É tarde demais para começar, por que se preocupar?

Mesmo que você atinja os 70 anos e nunca se preparou, pode começar a poupar. Nunca é tarde, já ouviu essa frase?

Você não faz ideia de quantos anos viverá. Pode garantir uma qualidade de vida ainda melhor. Isso não é egoísmo, lembra de um dos tópicos anteriores?

Poupe, não na caderneta de poupança, e invista. Uma das atitudes mais corretas de sua vida.

 

Bônus

Alguns pensamentos que você deve retirar de sua cabeça para não se complicar

 

• Se eu tiver crédito aprovado, posso usá-lo

Especialmente administradoras de cartão de crédito adoram ampliar limites de créditos para quem usa regularmente e paga direitinho.

Porém, é chegada uma hora que se você não tiver feito investimentos e algo imprevisível ocorrer você se verá em uma bola de neve de dívidas. Juros sobre juros, retirada de créditos e dívidas altíssimas em um momento quando você mais precisar.

Você ainda tem dúvidas sobre a importância de começar a investir cedo?

 

• “Quem investe em terra nunca erra”

Você já deve ter ouvido isso inúmeras vezes. Porém, vejamos alguns detalhes

– Alugar um imóvel está cada vez mais difícil, logo mais barato. Te dá um rendimento ainda menor que a poupança e ainda te faz declarar no Imposto de Renda.

– Você depende de um inquilino pagar em dia. Isso pode te dar uma baita dor de cabeça, depender de outro alguém que entre sua família e você irá priorizar, claro, a família.

– E os meses sem inquilino? Vistorias? Quem vai arcar com seu dinheiro parado? Fora que nesse período, invasões e furtos podem ocorrer – e a conta é só sua!

Esperamos que a partir dessas informações você possa planejar seu futuro e viver uma justa felicidade e com qualidade de vida por muitos anos.

 

 

* É permitida a reprodução parcial ou total deste material, desde que citada a fonte com link.

Comentários

Comentários

ADS-BOTTOM-SPED-CONTROLE