Empreendedorismo? 1 milhão de novas empresas surgem no 1º semestre

696

O primeiro semestre de 2016 teve um registro de mais de 1 milhão de novas empresas no Brasil, de acordo com informações do Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, um recorde. Para sermos mais exatos, 1.020.740, o que representa algo em torno de 3% a mais do que o mesmo período no ano anterior, que teve 990.964.

A explicação dada por economistas da Serasa Experian é de que o fechamento de vagas no mercado formal acaba por fomentar o “empreendedorismo de necessidade”, em busca da geração de alguma renda para enfrentar os já conhecidos desafios socioeconômicos brasileiros.

Essa explicação é corroborada pelo IBGE, que a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Eleitoral (Pnad Contínua) traz um dado relevante. 11,6% é a taxa de desemprego no Brasil registrada no trimestre que compreende de abril a julho de 2016, a maior registrada desde 2012, quando teve início a série histórica.

A taxa acumulada em relação ao mesmo período do ano anterior é de 3%, quando era de 8,6%.

MEI “domina”

O número de novos microempreendedores individuais (MEI) de janeiro a junho de 2016 foi de 816.704, alta de 9,1% em relação aos 748.371 no mesmo período de 2015.

Enquanto isso, as Sociedades Limitadas regrediram. Foram criadas 86.872, 13,2% a menos do que as 100.102.

Já as Empresas Individuais despencaram 32,9%, dos anteriores 91.164 novos negócios para 61.146.

Por fim, o surgimento de empreendimentos de outra natureza teve um aumento de 9,1%. Foram 56.018 contra 51.327, comparando ainda o primeiro semestre de 2016 com o de 2015, respectivamente.

Serviços aquecidos

Os dados do Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas mostram ainda que o setor de serviços está aquecido, sendo ele o mais procurado entre janeiro e junho de 2016. Foram criadas 642.611 empresas nesse segmento, o equivalente a 61,0% do total.

O setor de comércio ficou atrás, com 291.018 empresas comerciais abertas (28,5% do total) enquanto na indústria podemos contar com novas 84.478 (8,3% do total).

Outros segmentos

8,5% das novas empresas são do ramo de serviços de alimentação.

7,5%, vêm os segmentos de reparação e manutenção de prédios e instalações elétricas, comércio e confecções, em geral,

6,9% de serviços de higiene e embelezamento pessoal

Mais da metade das novas empresas se concentram na região Sudeste

Com 521.229 novas empresas abertas entre janeiro a junho, a região Sudeste concentra exatos 51,1% do total.

O Nordeste ganhou novas 69.650 (16,6%), seguido do Sul, com 168.615 (16,5%).

89.753 (8,8%) foram criadas no Centro-Oeste e, por fim, 50.435 (5,2%) no Norte.

População desocupada

Segundo o IBGE, a população desocupada é de 11, milhões de pessoas, 37,4% a mais do que o mesmo trimestre de 2015, um aumento de 3,2 milhões de pessoas.

Vai empreender?

Se você pretende engrossar esse número de novas empresas brasileiras, fica a sugestão de leitura do artigo “O que a Lei Complementar 123/2006 trouxe para o empreendedorismo nacional?“.

* É permitida a reprodução parcial ou total deste material, desde que citada a fonte com link.

Comentários

Comentários