Déficit Previdenciário é o maior desde 1995: quase R$ 150 bilhões

578

O Ministério da Fazenda divulgou dados alarmantes sobre o atual déficit previdenciário. Em comparação com o ano anterior, 2016 registrou um aumento de 74,5%, sendo R$ 149,73 bilhões ante a R$ 85,81 bilhões, tornando-se o maior desde 1995.

Utilizando o Produto Interno Bruto (PIB) como parâmetro, em 2015 o déficit previdenciário representava 1,5% do PIB, enquanto no ano passado saltou para 2,4%.

As despesas previdenciárias em 2016 chegaram a R$ 507,9 bilhões, o equivalente a 8,2% do PIB, enquanto as receitas totalizaram R$ 358,1 ou 5,8% do PIB. Descontada a inflação, o rombo real da Previdência foi, portanto, de R$ 151,9 bilhões.

A explicação do secretário de Previdência Social, Marcelo Caetano, é de que já questões estruturais e conjunturais que determinaram o forte aumento do rombo do INSS em 2016. “Há o aspecto da demografia, já que a sociedade envelhece e isso gera cada vez mais benefícios, mas também há questões conjunturais. Em um ano particular, você pode ter uma geração de empregos menor. Como a arrecadação previdenciária está muito relacionada à folha de pagamentos, isso afeta.”

Vai aumentar o rombo

A expectativa da Previdência Social para este ano é um novo aumento no déficit previdenciário. Algo em torno R$ 180 bilhões.

* É permitida a reprodução parcial ou total deste material, desde que citada a fonte com link.

Comentários

Comentários